Filosofia Clínica para Profissionais da Saúde

Seg, 26 de Janeiro de 2015 16:56 Administrador
Imprimir

Curso de Extensão

Filosofia Clínica para profissionais da saúde

Professores: Monica Aiub e César Mendes da Costa

Sextas, das 9 às 11 horas

Início: 06 de março

Local: Instituto Interseção

Rua Martinico Prado, 26 cj. 25 – Higienópolis – São Paulo – SP

Para inscrição – clique aqui

 

O trabalho na área da saúde coloca seus profissionais, diariamente, diante de questões existenciais, sejam elas suas, dos pacientes ou de outros profissionais com os quais trabalham: Como lidar com as consequências de uma dor inevitável? Como lidar com as perdas e limitações oriundas de determinadas doenças? Como lidar com a perspectiva de morte iminente? Como alterar hábitos diante de uma nova condição de saúde? Como lidar com o sofrimento gerado pela doença, pela morte, pelas limitações? Qual o sentido da existência diante da morte, da dor? Quais os limites éticos de sua atuação profissional? Quais os limites de sua responsabilidade pela condição do paciente? Como dar uma “notícia difícil”? Quando seu trabalho é cuidar, como cuidar de si?

Como constatou Lúcio Packter, sistematizador da filosofia clínica, a medicina desenvolveu instrumentos para lidar com as doenças, mas não possui instrumentos suficientes para lidar com questões de natureza existencial, como as aqui citadas. Foi esta constatação que o levou a criar a filosofia clínica como um instrumento para abordar tais questões.

A filosofia, desde suas origens, destina-se a refletir sobre as questões da vida. Todo o conhecimento, produzido no decorrer da História da Filosofia, nos oferece um rico instrumental para lidar com as questões cotidianas. Diante das questões existenciais, das constantes inquietações, dos problemas que se avolumam e se agravam com o desenvolvimento tecnológico, a filosofia reassume seu papel original: refletir sobre as questões que a realidade nos apresenta, oferecendo-nos valiosos conhecimentos para lidarmos com elas.

O curso de extensão Filosofia Clínica para profissionais da saúde apresentará o instrumental da filosofia clínica aplicado às questões da saúde, com o objetivo de auxiliar o profissional desta área a lidar com as questões existenciais que surgem em sua prática cotidiana.

 

 

Ementa: O curso de extensão Filosofia Clínica para Profissionais da saúde apresentará o universo filosófico clínico, considerando as possibilidades de aplicação do instrumental da clínica filosófica no trabalho na área da saúde. Serão abordados instrumentos para auxiliar o profissional na compreensão dos contextos de cada situação, assim como as características próprias de cada paciente. Tais instrumentos visam propiciar elementos para auxiliar o profissional na resolução de problemas.  No instrumental apresentado encontram-se os eixos centrais da atividade filosófico-clínica: Exames Categoriais, Estrutura de Pensamento e Submodos.

Público alvo: profissionais da área da saúde e demais interessados na questão.

Requisitos para cursar: Não há.

Carga horária: 28 horas.

Programa:

Módulo 1: Dias 06, 13, 20 e 27 de março

O que é Filosofia Clínica? De que maneira a filosofia poderia auxiliar o profissional da saúde a lidar com suas dificuldades cotidianas? De que maneira os ensinamentos dos antigos filósofos poderiam ser úteis para a vida contemporânea, em especial para o trabalho na área da saúde?

Partindo do estudo das relações entre filosofia e saúde na história da filosofia, esse momento do curso propiciará o debate acerca do papel da reflexão filosófica no cotidiano dos profissionais da saúde.

Módulo 2: Dias 10, 17 e 24 de abril

Filosofia Clínica no cotidiano dos profissionais da saúde.

Exames Categoriais: Pesquisando os contextos, o conhecimento de si e do entorno para além das teorias.

Módulo 3: Dias 8, 15, 22 e 29 de maio

Estrutura de Pensamento: modos de ser: como você é?  O que observar em si mesmo, nos outros, no trabalho? Alguns tópicos a serem destacados: Como o mundo parece; O que acha de si mesmo; Sensorial & Abstrato; Emoções; Pré-Juízos; Termos Agendados no Intelecto; Termos Universal, Particular e Singular; Termos Unívocos e Equívocos; Discurso Completo e Incompleto; Estruturação de Raciocínio; Buscas; Paixoes Dominantes; Comportamento e Função; Espacialidade; Semiose; Significado; Armadilhas Conceituais; Axiologia; Tópico de Singularidade Existencial; Epistemologia; Expressividade; Papel Existencial; Ação; Hipótese; Experimentação; Princípios de Verdade; Análise da Estrutura; Interseções de Estruturas de Pensamento; Matemática Simbólica; Autogenia.

Módulo 4: Dias 12,19 e 26 de junho

Submodos: as formas para lidar com as questões. Como você e os demais profissionais de sua equipe lidam com as questões do cotidiano? O que fazer para lidar com o sofrimento? Que instrumentos utilizar para lidar com a continuidade do tratamento? Como trabalhar problemas no relacionamento com pacientes e demais colegas de equipe?

Metodologia: Será utilizado o instrumental da Filosofia Clínica para a leitura de situações do cotidiano dos profissionais. Os conteúdos serão expostos e trabalhados através de dinâmicas e exercícios práticos, acompanhados de subsídios teóricos como fundamento.

Bibiliografia Básica:

AIUB, Monica. Como ler a Filosofia Clínica: Prática da autonomia do pensamento. São Paulo: Paulus, 2010.

_____. (Org.). Conceitos que sentem, afetos que pensam. Rio de Janeiro: WAK, 2013.

_____. Para entender Filosofia Clínica: o apaixonante exercício de filosofar. 2 Ed. Rio de Janeiro: WAK, 2008.

CARVALHO, J. M. Diálogos em Filosofia Clínica. São Paulo: FiloCzar, 2013.

_____. Subjetividade e Corporalidade na psicologia e na filosofia. São Paulo: FiloCzar, 2014.

COSTA, C. M. Filosofia Clínica, epistemologia e lógica. São Paulo: FiloCzar, 2013.

PACKTER, L. Filosofia Clínica: Propedêutica. Porto Alegre: AGE, 1997. Disponível em: http://anfic.org/livro-filosofia-clinica-para-download/

_____. Semiose: Aspectos traduzíveis em clínica. São Paulo: FiloCzar, 2014.

 

Bibliografia complementar

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Brasília: UNB,1985.

CANGUILHEM, G. Escritos sobre medicina. Rio de Janeiro: Forense, 2005. 

_____. O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

EPICURO. Carta sobre a felicidade. São Paulo: UNESP, 1999.

FOUCAULT, M. Hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

_____. O governo de si e dos outros. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FRIAS, I. Doença do corpo, doença da alma: Medicina e filosofia na Grécia Antiga. Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. PUC-RJ/Loyola, 2004.

HIPÓCRATES. Aforismos: Histórias da medicina. São Paulo: UNIFESP, 2010.

_____. Conhecer, cuidar, amar: O juramento e outros textos. São Paulo: Landy, 2002.

JAEGER, W. Paidéia: A formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

PIGEAUD, J. Metáfora e melancolia: Ensaios médico-filosóficos. Rio de Janeiro: PUC-RJ/Contraponto, 2009.

PLATÃO. Fedro. São Paulo: Martin Claret, 2004.

_____. Timeu e Crítias. Curitiba: Hemus, 2002.

SÊNECA. Da vida feliz. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

VERNANT, J. As origens do pensamento grego. São Paulo: Difel, 2002.

VERNANT, J; VIDAL-NAQUET, P. Mito e tragédia na Grécia Antiga. São Paulo: Perspectiva, 1999.

 

Investimento: 480 reais à vista ou quatro parcelas de 150 reais.

Para alunos do Instituto Interseção: 400 reais à vista ou quatro parcelas de 130 reais.

 

Ficha de inscrição

 

Última atualização em Seg, 26 de Janeiro de 2015 18:49